Os seus KPI´s que história contam?

Os seus KPI´s que história contam? A importância do “storytelling”

Qual a chave de qualquer excelente história? Os detalhes.

Os seus dashboards criam experiências voltadas para os detalhes mais minuciosos dos seus principais indicadores de performance (KPI´s)? O seu sucesso depende da capacidade da sua empresa em concentrar-se no detalhe no “performance management”.
Os seus principais indicadores de desempenho são o veículo ideal para contar a história do desempenho operacional da sua organização. Aquando o processo construtivo do dashboard que agrega os seus KPI´s deve-se prestar especial atenção ao seu desenvolvimento para garantir que no futuro temos uma ideia clara do que está e o que não está a resultar no nosso desempenho operacional, aplicar medidas corretivas “on time” de forma a manter o alinhamento com a estratégia previamente definida.

Construa um Dashboard com KPI´s detalhados e estruturados

  • Medida – Seja tão expressivo quanto possível com as suas medidas. Por exemplo, não defina apenas a medida “volume de vendas”. Adicione profundidade. Um bom exemplo pode ser “volume de vendas do produto/serviço X” ou ” volume de vendas do produto/serviço X por zona geográfica X”.
  • Alvo – Alvos são os objetivos que pretendemos alcançar. Os alvos precisam combinar as datas de objetivo e a medida. Ou seja, os seus objetivos podem ser algo como “X # de novos clientes dentro do intervalo de datas X”.
  • Base de Dados (BdD)- Devido a alguma dispersão de dados em múltiplas BdD seja claro sobre quais são suas fontes de dados aquando a definição dos seus KPI´s.
  • Frequência – Indique com que frequência deseja monitorizar determinado KPI com dados novos. Esta exigência é variável de acordo com a necessidade de monitorização, elaboração de relatórios ou até mesmo devido à “natureza” do KPI. No entanto, o recomendável é a monitorização de todos os KPI´s pelo menos numa base mensal.

Após definição dos KPI´s, torna-se crucial atribuir-lhes o fator “ação” para que possamos claramente medir o desempenho operacional e atribuir relações aos objetivos previamente definidos.

  • Progresso – Estes KPI´s são bons para medir desempenhos baseados em projetos ou medir KPI´s que nem sempre possuem uma fonte de dados clara. Estas medidas geralmente são “% concluídas”. São bons para monitorizar o desempenho de objetivos e as ações associadas aos mesmos.
  • Profundidade – Estes KPI´s simplesmente contam um número (exemplo – número de novos clientes). A sua finalidade é medir dados em bruto, mas às vezes podem não ter detalhes. Para fazer contar uma história melhor, considere adicionar detalhes com profundidade ou contexto. Por exemplo: Mude um KPI da leitura de “# de novos clientes” para “% de novos clientes em comparação com período homologo”. O factor amplitude dá um maior contexto ao desempenho organizacional, posicionando-o em termos estratégicos.
  • Mudança – Estes KPI´s monitorizam mudanças dentro da organização. Um exemplo pode ser “% de aumento das vendas”. Mais uma vez, pode fazer com que esta medida funcione melhor adicionando profundidade. Um exemplo seria mudar o indicador acima para “% de aumento das vendas do produto/serviço X”. Estes KPI´s são geralmente melhores para ajudar a identificar o desempenho rapidamente e de forma clara.

Concluindo, o “storytelling” que pode fazer sobre os seus KPI´s dependem da profundidade e detalhe que lhes incute. Quanto mais contexto e ação atribui ao KPI, mais claro é para si a informação e a certeza com que toma decisões.

 

Poderá gostar de ler o artigo – PORQUÊ UTILIZAR UM SOFTWARE BUSINESS INTELLIGENCE PARA TRANSFORMAR DADOS?

Autor: Ângelo Rêga (Consultor RCR) – ver perfil Linkedin


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *