O Business Intelligence como factor diferenciador para as PME´s

Business Intelligence: o novo fator diferenciador para as PME´s

Business Intelligence para PME´s aparenta ser algo de considerável complexidade, mas na verdade, o conceito é bastante simples e de fácil definição: processo de recolha, organização e análise de dados, respetivo tratamento e transformação em informação de qualidade que oferece suporte aos processos de tomada de decisão.

Existem inúmeras formas de armazenamento e tratamento de dados. Bem ou mal, é a realidade. Muitas empresas tendem a armazenar dados isoladamente, por departamentos ou mesmo por funcionários. Os dados que são deixados de fora da visão global do negócio muitas vezes causam sérios erros aquando a execução da estratégia da empresa. A questão é: o que se procura com inteligência de negócios? Na minha opinião, simplicidade!

O conceito BI, especialmente dentro do universo das PME´s Portuguesas, ainda levanta algumas questões que servem de entrave ao investimento neste tipo de tecnologias. A mais relevante é mesmo, será que o montante a investir acarreta de facto vantagens competitivas para o meu negócio? A verdade é que cada vez mais as ferramentas de BI estão acessíveis e mais importante, enquadradas e preparadas para corresponder às exigências das PME´s.

Não obstante, continua a persistir um considerável “gap” entre aquilo que é definido como o processo de gestão de dados e respetivo tratamento e transformação dos mesmos em informação de qualidade para que possa auxiliar os decisores em passos assertivos para a sua organização. Com base nisto, sou da opinião que ainda existem alguns problemas em relação ao uso de Business Intelligence. No entanto, temos vindo a assistir a um fenómeno que se define como a “democratização” deste conceito em Portugal favorável às PME´s.

Business Intelligence para pme´s. Conheça as vantagens com a implementação:

  • Alinhamento da estratégia com a vertente operacional evitando desvios.
  • Facilidade em acompanhar a execução estratégica através da monitorização dos principais KPI´s em tempo real.
  • Mitigação de riscos aquando o processo de construção de informação e todas as consequências associadas.
  • Processo de criação de informação automatizados. Aumenta o tempo de análise e reduz o tempo de compilação da informação (construção de análises, relatórios, dashboards, etc).
  • Centralização da informação de gestão reduzindo os tempos de espera no acesso à informação.
  • Agilidade no processo de tomada de decisão.

É portanto necessário pensar o futuro de cada organização aquando a implementação e definição do modelo conceptual de BI desenvolvido à medida das necessidades de cada negócio. O agendamento das fases de implementação integral ou parcial em cada organização depende muito da dinâmica e política interna da mesma. É importante definir prioridades:

  • Quais as áreas do negócio que serão mais beneficiadas com a implementação?
  • Que fases de implementação afetarão mais organização?
  • Está a organização apta para ter desafios adicionais?
  • Quais os departamentos que adotarão a nova ferramenta de análise, relatórios e construção de dashboards mais facilmente?
  • Quais as áreas da empresa que têm métricas claramente definidas que podem ser implementadas com sucesso imediatamente?

A ambição é colocar as PME´s no mesmo patamar que as grandes empresas no que diz respeito ao tratamento de dados e gestão de informação. “A visualização da informação hoje em dia é um tema essencial da evolução dos negócios e dos modelos de gestão modernos…”. O projeto BI jamais se considera único. À medida que a empresa cresce, as exigências alteram-se, sendo esse o momento que define a necessidade ajustar a ferramenta BI para fazer face à mudança.

BI é estratégico para qualquer empresa.

Poderá gostar de ler o artigo – Como monitorizar os seus indicadores chave

Autor: Ângelo Rêga (Consultor RCR) – ver perfil Linkedin